O Agronegócio em Destaque


AGRO-CIM >Agricultura > Cana-de-açúcar
   04/06/2010 - 11:52:58

Falta de chuva compromete produção de cana-de-açúcar na Mata Norte do Pernambuco

O problema deve provocar o corte de muitos trabalhadores rurais

Fonte: PE 360º



A falta de chuva comprometeu a produção de cana-de-açúcar este ano na Mata Norte do Estado. A perspectiva é haver corte na mão de obra. De acordo com a Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco, cerca de 11,4 mil trabalhadores rurais deixarão de ser contratados. As plantações de milho também estão sendo afetadas com a estiagem.

No engenho de Felipe Neri, fornecedor de cana, localizado em Lagoa de Itaenga, não choveu como se esperava. Ele plantou dez hectares de milho pra colher no São João e está sem esperança de conseguir vender uma espiga sequer. Na área ao lado, ele cultiva cana e o pé, que deveria estar grande, não cresceu: "daqui a três meses a usina começa a moer. Uma cana dessa, com esse tamanho, não tem como se recuperar mais", lamentou Neri.

A falta de chuva traz prejuízo especialmente para os seis engenhos existentes na Zona da Mata Norte do Estado. Os produtores investiram na limpeza do terreno, no plantio e em adubo, mas não há sistema de irrigação.

Quem planta nesta região costuma contar exclusivamente com um inverno generoso. A estação, na localidade, vai de abril a agosto. Na primeira quinzena de maio, por exemplo, choveu 70% menos do que era esperado, segundo o Laboratório de Meteorologia de Pernambuco.

De janeiro a maio, choveu no Estado todo 718 milímetros, quando o esperado eram 1167, de acordo com o instituto de meteorologia. A redução é de 61,5%.

Cristiano Soares tem 120 hectares de cana plantados em Itambé e está preocupado: o adubo não foi dissolvido pela chuva e ele já demitiu seis funcionários e colocou 15 de férias. Ele não se animaria nem se chovesse agora: "o dano já foi feito, não tem mais o que reverter. Vamos ver o que se faz daqui pra frente".

O presidente da Associação dos Fornecedores de Cana, Alexandre Andrade Lima, disse que há oito anos os engenhos não atravessavam uma situação tão difícil e comentou a respeito dos problemas que a atual fase acarreta: "diretamente será reduzido na região o número de empregos trabalhadores rurais. Deveremos ter uma redução média de 30%. A Mata Sul tá sendo pouco atingida. O problema é mais na região norte"

 

Enviar por email








        
AGROCIM - CENTRO DE INTELIGÊNCIA EM MERCADOS

2009 - www.agrocim.com