O Agronegócio em Destaque


AGRO-CIM >Políticas Agrícolas > Certificação
   25/11/2010 - 13:43:54

IMA certifica propriedades como livre de brucelose e tuberculose bovina

O IMA encaminhou esta semana os certificados de Propriedade Livre de Brucelose e Tuberculose

Fonte: IMA - Instituto Mineiro de Agropecuária



O IMA encaminhou esta semana os certificados de "Propriedade Livre de Brucelose e Tuberculose" a três propriedades: Fazenda Campo do Meio, em Carmo do Paranaíba; Sítio do Cedro, localizada no município de Tiros, estas duas localizadas na região do Alto Paranaíba; e Fazenda Olímpia, no município de Guarará (Zona da Mata). Já a  fazenda Pinhal, no município de Elói Mendes (Sul de Minas) que foi certificada em agosto de 2009 teve a certificação renovada por mais um ano. Atualmente, Minas Gerais possui oito propriedades com esta qualificação e cerca de 40 em processo de certificação.

O documento é emitido pelo Ministério da Agricultura, baseado nas avaliações e acompanhamento do IMA e comprova que todos os animais destas propriedades encontram-se livres de brucelose e tuberculose.  As fazendas foram acompanhadas pelo Instituto durante aproximadamente um ano e passaram pelo processo de Certificação de Estabelecimentos de Criação Livres de Brucelose e Tuberculose.

Dentre as vantagens de se possuir este certificado, está a isenção da obrigatoriedade de apresentação de atestados de realização de exames negativos de brucelose e tuberculose para transportar os animais para fora do Estado e participação em eventos agropecuários, enquanto durar sua validade que é de um ano.

Testes

O procedimento é voluntário e voltado para a produção de gado de leite. Neste caso são aplicadas medidas de saneamento e vigilância sanitária, que garantem a qualidade dos animais na linha de produção, e consequentemente do leite e seus derivados produzidos a partir dos mesmos.

Após o período de um ano, para manter o status de propriedade livre de brucelose e tuberculose, o produtor deve realizar novos testes supervisionados de diagnóstico, para comprovar que o rebanho continua saudável. Caso exista algum animal positivo, ele deve ser sacrificado e em seguida realizado dois testes consecutivos com o resultado negativo. Se não houver inconformidades, ele tem sua renovação aprovada por mais um ano.

O produtor que se interessar em certificar sua propriedade deve procurar o escritório do IMA ao qual pertence sua propriedade, acompanhado de médico veterinário habilitado.

O diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto, explica a importância deste tipo de certificação. "Este é um recurso que agregar valor ao produto final. No entanto, a idéia é que toda a cadeia produtiva seja beneficiada, pois, os consumidores terão a garantia de um produto de melhor qualidade" afirma.

Brucelose e Tuberculose

A brucelose e a tuberculose têm sido uma das principais causas de perdas econômicas na produção pecuária em todo o território brasileiro, já que podem provocar aborto, queda na produção de leite, menor número de bezerros e ainda o desenvolvimento tardio destes animais.

Causada pela bactéria Brucella abortus, a brucelose ataca bovinos, bubalinos, suínos, equinos, caprinos e ovinos. A tuberculose causada pelo Mycobacterium bovis, acomete bovinos, bubalinos, suínos, caprinos, ovinos e aves. Ambas são zoonoses (podem infectar o homem) e têm grande importância para a saúde pública.

Com relação à tuberculose, não existe vacina. A melhor forma de prevenir a doença no rebanho é a aquisição de animais somente com apresentação de resultado negativo no teste da doença. Machos e fêmeas poderão ser testados a partir de 6 semanas de idade. No caso da brucelose, a vacinação com a amostra B19 é obrigatória para fêmeas entre 3 e 8 meses de idade, devendo ser realizada sob responsabilidade de médico veterinário cadastrado no IMA.

De janeiro a outubro de 2010, cerca 1 milhão e 500 mil bezerras foram imunizadas contra a brucelose, em Minas Gerais.

 

Enviar por email








        
AGROCIM - CENTRO DE INTELIGÊNCIA EM MERCADOS

2009 - www.agrocim.com